Cadastre-se
Esqueceu a senha?
Entrar
Um terço das pessoas com diabetes desenvolve dano ocular, diz pesquisa
2 Dezembro 2016
WhatsApp Facebook Twitter LinkedIn Send
A - A +
Enviar por E-mailX

Você pode enviar este conteúdo para até três amigo(a)s ao mesmo tempo.

+ 1 Amigo(a)
+ 1 Amigo(a)
Enviar Conteúdo
Cerca de 26% dos entrevistados no estudo nunca passaram por oftalmologista durante o tratamento.
Data:
Cidade:
Cerca de um terço das pessoas com diabetes desenvolve dano ocular, segundo a Fundação Internacional de Diabetes (IDF, na sigla em inglês). E, apesar de a cegueira ser o principal medo dos paulistanos entre as complicações possíveis da doença, alguns males nos olhos são desconhecidos da população, que nem sempre faz exames preventivos.

Os dados são da pesquisa da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV), em parceria com a Bayer. O resultado foi divulgado na semana passada. Neste ano, o Dia Mundial do Diabetes teve o tema Os Olhos no Diabetes.

Entrevistas foram colhidas em oito capitais brasileiras: Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Rio de Janeiro, Recife (PE), Porto Alegre (RS), São Paulo, Brasília e Salvador (BA), com 4 mil pessoas. O estudo apontou que 45% dos entrevistados de São Paulo temem, sobretudo, a cegueira como complicação de diabetes.

Enquanto em São Paulo se verifica alto índice de conscientização sobre a relação entre o diabetes e a perda da visão (quase 90% dos pesquisados sabia da relação, enquanto a média nacional não chega a 50%), 56% nunca ouviram falar de retinopatia diabética (RD).

RD é a forma de chamar as doenças de retina ocasionadas por diabetes. Uma é o edema macular diabético. O percentual paulistano é parecido com o da média nacional: 57% de desconhecimento sobre o tema, embora o edema macular seja uma das razões mais frequentes de perda severa da visão na idade ativa.

Entre os paulistanos que têm diabetes ou em que se verifica algum caso na família, 49% afirmaram que os médicos nunca pediram exame de fundo de olho, o que diagnosticaria antes a doença.

O número é maior do que o da média nacional (38%). Além disso, cerca de 26% desses entrevistados nunca passaram por uma consulta com um oftalmologista durante o tratamento de diabetes em São Paulo. Na média nacional, esse número cai para 10%. Com isso, 30% dos entrevistados na Capital afirmaram ter tido diagnóstico tardio de complicação ocular. No Brasil, são 49%.

Complicações

O edema macular diabético (EDM) e a RD são causados pelo aumento de açúcar no sangue, o que prejudica os vasos sanguíneos dos olhos (veja infográfico). Um vazamento ou inchaço dentro de uma região ocular chamada mácula causa falta de foco na visão ou manchas, por exemplo. A visão pode desaparecer em dois anos.

Segundo o médico endocrinologista Luiz Turatti, presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), a maior preocupação nesta campanha é alertar sobre a questão dos olhos como uma das implicações mais importantes da doença. Lembrar da catarata, do glaucoma e de outras doenças associadas também é foco.

"Não há essa conscientização. A campanha é uma forma de a informação chegar e fazer os diabéticos procurarem o médico com mais frequência. Via de regra, os pacientes sabem pouco sobre a relação entre as doenças. A pesquisa faz com que a população questione seu médico”, diz o especialista.

Segundo Turatti, qualquer tipo de diabetes pode causar doença ocular. Isso, porém, é mais frequente nos casos de diabetes do tipo 1, por ter controle mais difícil e começar na infância, oferecendo maior tempo com o problema. "Mas é imprevisível. O risco maior é aos pacientes mais descompensados, a alongo prazo”.
Fonte: atribuna.com.br

Comentar esta matéria

Comentários

As opiniões expressas nos comentários são de única e exclusiva responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião deste site. Comentários ofensivos ou que violem a legislação vigente serão suprimidos.


* seu e-mail não será publicado.

Enviar Comentário