Cadastre-se
Esqueceu a senha?
Entrar
Agora é tarde para 2017 e cedo para 2018
7 Dezembro 2017 | Categoria: Dicas
WhatsApp Facebook Twitter LinkedIn Send
A - A +
Enviar por E-mailX

Você pode enviar este conteúdo para até três amigo(a)s ao mesmo tempo.

+ 1 Amigo(a)
+ 1 Amigo(a)
Enviar Conteúdo
Artigo Luiz Amorim / Consultor e palestrante
Data:
Cidade:
Muitos irão amargar os péssimos resultados de 2017, outros poderão comemorar a sobrevivência e alguns "gatos pingados? terão seus lucros aumentados. As grandes redes certamente podem comemorar, porém o médio e o pequeno empresário devem estar com os "cabelos em pé? buscando novas fórmulas para encarar 2018.

Não existem milagres! As empresas bem planejadas, com visões e informações atualizadas sobre o mercado lograram êxito nos seus projetos e, certamente irão continuar vivas apesar da crise econômica que ainda persiste.

Alguns indicadores econômicos dão conta de uma leve recuperação, mas esta tímida reação não é suficientes para estimular o consumo. Os empresários ainda aguardarão um cenário mais atraente para investir no "layout? da loja ou mesmo para dedicar sua atenção aos programas de melhoria na qualidade do atendimento.

Entre todos os investimentos, o treinamento de vendas ainda é o mais vantajoso, pois possibilita resultados de curto prazo. Aproveitar a presença do cliente em loja é o melhor caminho para recuperar vendas e aperfeiçoar resultados. A escassez de clientes é uma realidade, portanto àquele que entra não pode sair sem uma venda (efetivada) e a satisfação garantida.

Existe uma tendência de o vendedor entrar na "zona de conforto? em momentos dos dias e não se preocupar com seu desempenho e muito menos com o desempenho das vendas globais. O empresário deve estar atento a estes comportamentos para estimular novas abordagens e manter os seus colaboradores em "alerta total?, o tempo todo.

A loja pode dispor de um mix inteligente e vasto de marcas, designs e tendências, pode ter acomodações luxuosas, e ainda ofertar promoções e um plano de marketing audacioso, porém o vendedor deve estar ciente e consciente do seu papel neste cenário. Caso ele não tenha esta consciência o empresário estará dando um "tiro do pé? e desperdiçando recursos.

Cada vendedor carrega em si o "dom de ser capaz?, contudo desconhece estes atributos. O empresário, entretanto deve reconhecer estes méritos e estimular a prática diária dos mesmos. A lei do "uso e desuso? pode levar um vendedor ao sucesso ou ao fracasso, portanto compete ao empresário líder estar atento aos principais ativadores da ego motivação.

Feliz 2018 para os empresários sobreviventes.

Luiz Alberto Mota Amorim
Autor do livro: O SEGREDO PARA VENDER + ÓCULOS
Palestrante e conferencista
luizamorimconsultoria@gmail.com
Fonte: Luiz Amorim

Comentar esta matéria

Comentários

As opiniões expressas nos comentários são de única e exclusiva responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião deste site. Comentários ofensivos ou que violem a legislação vigente serão suprimidos.


* seu e-mail não será publicado.

Enviar Comentário