Cadastre-se
Esqueceu a senha?
Entrar
O dono da ótica que não escuta perde DINHEIRO!
13 Março 2019  | Seção: Colunas & Artigos  |  Categoria: Dicas
WhatsApp Facebook Twitter LinkedIn Send
A - A +
Enviar por E-mailX

Você pode enviar este conteúdo para até três amigo(a)s ao mesmo tempo.

+ 1 Amigo(a)

+ 1 Amigo(a)

Enviar Conteúdo
Artigo Tiago Salvador / Consultor
Data:
Cidade:
Também acompanhe @otiagosalvador no Instagram e Facebook 
 

TÉCNICAS DE ESCUTA ATIVA

PARAFRASEAR

Reformular o que a pessoa disse ajuda-a a convergir a atenção e a concentrar-se. Também ajuda a focalizar as questões nos aspetos mais importantes que a vítima está a partilhar.

· "Se estou a entender bem, está-me a dizer que..."
· "Não sei se percebi bem, o que acontece é que..."

RETOMAR CONTEÚDO

Recuperar o que a pessoa está a dizer, ajuda-a a continuar. Muitas vítimas, quando procuram ajuda estão confusas e desorientadas, encontrando-se ainda sob a pressão dos acontecimentos. Podem perder-se, tornar-se repetitivas, começarem a chorar ou transmitirem informações ou emoções contraditórias. A confusão faz parte do processo e é um dos sintomas da violência doméstica, tornando-se necessário que o/a profissional ajude a pessoa a organizar a narrativa.

· "Então, você saiu de casa depois da última agressão..."
· "Parece que a violência piora quando ele bebe..."

Retomar o ponto onde a narrativa se dispersou é uma forma de reconduzir a comunicação e de ajudar a pessoa a situar-se novamente e a recuperar o seu discurso.

PERGUNTAR

Fazer perguntas de forma aberta, fechada ou indireta ajuda ao desenrolar do processo de comunicação. Algumas vítimas podem tornar-se lacónicas, reticentes ou, quando o tema é muito doloroso, simplesmente incapazes de continuar a falar. Fazer perguntas pode ser um bom recurso para libertá-las do bloqueio e permitir que a conversa volte a fluir. Perguntas centradas no  porquê devem ser evitadas!

· As perguntas abertas permitem que a pessoa dê respostas mais amplas e direcione o conteúdo da conversa, por exemplo: "Como é que isso foi para si?"; "Pode-me falar mais sobre..."; "Como é que lidou com ..."

RESUMIR
Repetir resumidamente os maiores blocos de informação pode ser útil para colocar os eventos na ordem devida. Isto ajuda o/a profissional a memorizar a história, evita dispersões e reafirma a disposição do/a técnico/a para a escuta.

Agradecimentos: 
Fonte: Joceli Drummond da empresa Potenciar Consultores Associados
Comentários X

As opiniões expressas nos comentários são de única e exclusiva responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião deste site. Comentários ofensivos ou que violem a legislação vigente serão suprimidos.


* seu e-mail não será publicado.
Enviar Comentário