Entrar Cadastre-se
Esqueceu a senha?
Entrar
Erisipela Ocular, uma condição desconhecida
26 Fevereiro 2020  | Seção: Colunas & Artigos  |  Categoria: Visão
A - A +
Enviar por E-mailX

Você pode enviar este conteúdo para até três amigo(a)s ao mesmo tempo.

+ 1 Amigo(a)

+ 1 Amigo(a)

Enviar Conteúdo
Infecção bacteriana que acomete membro inferior ou face e periorbital. Atenção necessária pelo optometrista.
Data:
Cidade:

SONODA, R-T. ; SILVA, F.K.

O optometrista como cuidador primário da visão recebe em seu consultório diversas alterações diariamente.

Muitas vezes a queixa é acuidade visual rebaixada com hiperemia no bléfaro ou epicanto. Essas alterações merecem ser pesquisadas, e casos suspeitos encaminhados ao especialista médico.

A erisipela é uma doença de pele muito antiga, em alguns pontos do Brasil e denominada Fogo de Santo Antônio, Zipla ou Zipra. Trata-se de uma infecção bacteriana que ocorre no panículo adiposo. Que pouco se ouve falar na formação.

Adiposo

Última camada panículo adiposo. (BARSA,2010)

 Esta infecção pode ser classificada como erisipela, quando ocorre a formação de placas moderadas, pode avançar para a classificação bolhosa e por fim a celulites (não há correlação com a celulite estética). Ganha diversas classificações distintas, mas é intimamente ligada a erisipela e a celulite.

 

É uma inflamação causada geralmente por staphylococcus aureus ou streptococcus, bactérias que em situação normal vivem em nossa pele sem danos. Porém, com imunidade rebaixada, esta bactéria ao entrar no ferimento pode provocar a erisipela.

É mais propício a apresentar a zipra: obesos, imunodeprimidos, idosos, diabéticos e portadores de problemas linfáticos (vasculares). Acomete em geral membros inferiores e é unilateral (80%), porem 10% a 20% acomete rosto e região ocular.

Face 

Acometimento fácil e membros inferiores. (SALDAÑA,2016)

 
 acometimento facial pode se estender a parte ocular atingindo o telecanto ou epicanto com bolhas. Inicialmente há hiperemia ou formação de papilas.
    
 

zirpa 

Bolha no epicanto. (KANSKY,2018)

 

Os sintomas relatados pelo paciente podem ser: calafrio seguido de febre moderada, queimação ou dores. Quando extensa ao acometer pernas ou pés é evidente a rápida identificação, entretanto, ao acometer o rosto é mais difícil a identificação pelos sinais e sintomas reduzidos.

A infecção é combatida com antibióticos por via oral, intramuscular ou intravenosa. Neste ultimo caso o tratamento pode levar até 7 ou 8 dias em internação com infusão a cada 4 hora.

Portanto, optometrista amigo, ao identificar bolhas ou hiperemia de aparecimento repentino com calafrio ou febre, solicite a avaliação do especialista dermatologista ou mesmo clinico geral.

 

 

rts

Prof. Rodrigo T. Sonoda

Docente Coordenador OWP Educação – Weducar

Graduado em Óptica e Optometria (UBC)

Pós Graduando em estudos de Oftalmologia(UniBF)

professor@rodrigosonoda.com.br

 
 Silva Fk
 
Profa. F. Kelly da Silva
 
Docente de óptica e optometria OWP - Weducar 

Graduado em Óptica e Optometria (UBC)

Aux.Tec. Enfermagem (MYRTHES)
Comentários X

As opiniões expressas nos comentários são de única e exclusiva responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião deste site. Comentários ofensivos ou que violem a legislação vigente serão suprimidos.


* seu e-mail não será publicado.
Enviar Comentário
Analytics