Oftalmologista alerta para riscos de coçar os olhos
X
   Entrar Cadastre-se
Esqueceu a senha?
Entrar
Oftalmologista alerta para riscos de coçar os olhos
17 Junho 2019  | Seção: Saúde  |  Categoria: Olhos
A - A +
Enviar por E-mailX

Você pode enviar este conteúdo para até três amigo(a)s ao mesmo tempo.

+ 1 Amigo(a)

+ 1 Amigo(a)

Enviar Conteúdo
Poeira e fumaça comuns nesta época do ano podem causar desconfortos
Data:
Cidade:
O clima mais seco do inverno afeta diretamente a mucosa dos olhos e a sensação de ardor e coceira é muito comum nesta época do ano. Apesar do instinto e da vontade, coçar os olhos não é uma opção, afirma a oftalmologista Cláudia Benetti, do Centro de Cirurgia Oftalmológica, de Campinas.

De acordo com a doutora, o ato de coçar os olhos pode prejudica-los de diversas maneiras. "Como em qualquer parte do corpo, quanto mais coçamos, mais vontade de coçar nós temos. Os olhos, porém, são muito frágeis e esfregar pode ter consequências mais graves como deformação da córnea", alerta a oftalmologista.

Apesar de os diagnósticos serem quase sempre os mesmos: um quadro alérgico ou ressecamento, os tratamentos variam muito. Olhos vermelhos, lacrimejamento excessivo, vermelhidão, irritação, sensação de areia, inchaço das pálpebras, ardência e queimação são alguns dos sintomas mais comuns. "O tempo seco e a fumaça e poeira desta época do ano irritam bastante os olhos mais sensíveis. É quase instintivo levarmos as mãos aos olhos, porém, nossas mãos quase sempre estão sujas e coçar mais prejudica do que ajuda. O ideal é procurar um especialista para prescrever o lubrificante ocular mais indicado", explica.

Para Cláudia, o quadro mais grave da coceira é o desenvolvimento do ceratocone, quando o tecido transparente que cobre o olho afina e se projeta para fora em forma de cone. "O ceratocone compromete a visão e o tratamento é bem delicado. Quando o paciente insiste em coçar a região podem acontecer machucados e deformação da córnea. Por isso a insistência em não coçar", alerta.

Dra. Cláudia Benetti

Formada pela PUC-Campinas, especialista em Oftalmologia pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), pós-graduada em Medicina Chinesa e Acupuntura pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp) e pós-graduada em Medicina Integrativa pelo Hospital Israelita Albert Einstein.
Comentários X

As opiniões expressas nos comentários são de única e exclusiva responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião deste site. Comentários ofensivos ou que violem a legislação vigente serão suprimidos.


* seu e-mail não será publicado.
Enviar Comentário
Analytics